Curso de Terapia Comunitária Integrativa MISC RIO PRETO


CURSO – V TURMA
FORMAÇÃO EM TERAPIA COMUNITÁRIA INTEGRATIVA
PERÍODO DE REALIZAÇÃO: NOVEMBRO 2012 A AGOSTO/2013

 
“Estamos convencidos de que enquanto os indivíduos não entenderem as implicações humanas e contextuais de seus sofrimentos e não tiverem o senso de coresponsabilidade, não haverá desenvolvimento sustentável possível.”  Adalberto Barreto   

O QUE É TERAPIA COMUNITÁRIA?
É um trabalho de grupo que promove a construção de redes sociais solidárias, valoriza o saber e a competência dos indivíduos e favorece a partilha de experiências de vida e sabedorias de forma horizontal e circular.
Na Terapia Comunitária a comunidade torna-se espaço de acolhimento e de cuidado.  Cada um torna-se terapeuta de si mesmo a partir da escuta das histórias de vida. Num ambiente caloroso e acolhedor todos se tornam co-responsáveis na busca de soluções e superação dos desafios do cotidiano.
Essa metodologia vem sendo desenvolvida ao longo de vinte anos pelo psiquiatra Dr. Adalberto Barreto, professor da Universidade Federal do Ceará.

OBJETIVO DO CURSO
Formar terapeutas comunitários capazes de auxiliar indivíduos, comunidades e famílias na prevenção da violência, droga/dependência, doença, crises familiares, abandono social, e outros sofrimentos. Ë uma formação de pessoas para agir, para acolher, para estarem conscientes da força transformadora de seu ombro e dos momentos de felicidade que podem conquistar.

PÚBLICO ALVO
Profissionais da área social, da saúde e da educação; lideranças comunitárias ou religiosas; conselheiros tutelares; voluntários; estudantes e demais pessoas que tenham atuação em grupos ou comunidades, com ou sem formação universitária.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
Objetivos e pressupostos da Terapia Comunitária; prática da Terapia Comunitária e os eixos teóricos da TC: resiliência - a arte de cuidar; pensamento sistêmico; antropologia cultural; pedagogia de Paulo Freire e teoria da comunicação.

CARGA HORÁRIA, CRONOGRAMA, DEFINIÇÕES DAS ATIVIDADES E CONTEÚDO TEÓRICO
O curso é composto pelas seguintes atividades: 04 Módulos, 04 Intervisões e Prática, com uma carga horária de 360 horas aula assim divididas:

CRONOGRAMA DAS ATIVIDADES:

 

ATIVIDADE

CARGA HORÁRIA

MÓDULOS I, II, III E IV

160 HORAS AULA

INTERVISAO

80 HORAS AULA

PRÁTICA -48 RODAS DE TC

120 HORAS AULA

.

 

 

ATIVIDADE

DATA/PERÍODO

DIAS E HORÁRIO

MÓDULO I

15 a 18/11/2012

Quinta a Dom. - 08 às 18h

INTERVISÃO I e II

31/01 e 01/02/2013

Quinta e Sexta - 08 às 18h

MÓDULO II

14 a 17/03/2013

Quinta a Dom. - 08 às 18h

MÓDULO III

18 a 21/04/2013

Quinta a Dom. - 08 às 18h

INTERVISÃO III e IV

16 e 17/05/2013

Quinta e sexta - 08 às 18h

INTERVISÃO V E VI

06 e 07/06/2013

Quinta e sexta - 08 às 18h

MÓDULO IV

25 a 28/07/2013

Quinta a Dom. - 08 às 18h

INTERVISÃO VI e VIII

29 e 30/08/2013

Quinta e sexta - 08 às 18h

OBS: Os módulos I ao IV terão início na quinta-feira às 8h e término no domingo às 12 horas. As intevisões acontecem sempre às quintas e sextas-feiras das 08 às 18h. Todos os módulos acontecem em regime de imersão. (opcional)

DEFINIÇÃO DAS ATIVIDADES

MÓDULOS- São as atividades que acontecem com duração de quatro dias e tem por finalidade capacitar os participantes na metodologia da Terapia Comunitária a nível teórico e prático. Trabalha-se também as vivências terapêuticas, necessárias à formação do Terapeuta: Carga Horária: 160 horas/aula. Integram os Módulos e as Intervisões as Vivências Terapêuticas.

VIVÊNCIAS TERAPÊUTICAS- Esta é outra fonte do conhecimento, que contribui para a formação do Terapeuta Comunitário. Nas vivências terapêuticas trabalha-se a história de vida pessoal e familiar de cada participante, ajudando-o a se conhecer, a se olhar e a se ouvir para poder atuar em suas comunidades e nos grupos. O Terapeuta Comunitário precisa lidar com suas próprias emoções, inseguranças e sofrimentos para conhecer suas limitações e possibilidades de intervenção. Estas vivências ajudam o terapeuta comunitário a tomar a  distância necessária entre suas próprias emoções e as que irão emergir no seu trabalho com os grupos.

INTERVISÕES – Tem como objetivo proporcionar aos participantes do curso a reflexão sobre a prática da Terapia Comunitária. Oferecer a possibilidade de por em pratica as técnicas e conteúdos vistos durante o curso teórico. Estabelecer uma dialética entre a teoria e a pratica.Carga Horária: 80 horas/aula

PRÁTICA – Para obtenção da certificação em Terapia Comunitária são necessárias a prática de 48 Rodas de Terapia Comunitária: Carga Horária de 120 horas/aula. Dispomos de locais para o exercício da prática.

CONTEÚDO TEÓRICO
Antropologia Cultural: a compreensão antropológica da doença mental. A compreensão psiquiátrica da cultura. Os efeitos da globalização no campo da saúde mental e das relações sociais. As linguagens do imaginário popular. Saúde Mental e contexto social. A cultura dos “excluídos". O contexto desagregador da favela: espaço de perdas e agregações. Pistas para uma ação comunitária. Como reconhecer e mobilizar os recursos das redes sociais. O despertar da consciência das competências de cada um. Histórico da TC no Brasil. Vídeo da TC com Adalberto Barreto. Apresentação das fichas a serem preenchidas pelos alunos. A abordagem sistêmica: Teoria Geral dos Sistemas. A teoria da comunicação humana. A família como um sistema. Uma pedagogia para a crise. A intervenção terapêutica na Comunidade: o processo de co-construção na superação dos problemas. Pistas para uma terapia das Comunidades. A estrutura da Terapia Comunitária. Técnicas e práticas para ampliar a participação e o desenvolvimento da autonomia de indivíduos, famílias e comunidades. A estrutura da Terapia Comunitária. Partilha das primeiras experiências da TC. Prática de TC com o grupo. Músicas e dinâmicas interativas para a prática da TC. Técnicas de autoconhecimento. O resgate da unidade do Ser, criança vitoriosa e da auto-estima. Trabalhando a agressividade e o perdão. Cultura do excluído. Pedagogia da crise. Os seis pilares da auto-estima. Resiliência.
PEQUENO HISTÓRICO
A TCI começou a surgir em 1983, quando o psiquiatra e antropólogo cearense Dr. Adalberto de Paula Barreto desenvolveu um programa de pesquisa e educação comunitária, voltado para os romeiros que se dirigiam a Canindé, no Ceará. Na seqüência, iniciou um novo trabalho na favela do Pirambu, em Fortaleza, onde juntamente com seus alunos do curso de Medicina da Universidade Federal do Ceará, criaram o Projeto Quatro Varas, com o objetivo de realizar um trabalho de prevenção e cuidado. Trabalho este que foi mais tarde ampliado com a fundação do Movimento Integrado de Saúde Mental Comunitária e a conseqüente sistematização da Terapia Comunitária. Nos últimos anos, a Terapia Comunitária encontrou grande demanda por todo Brasil e também começou a penetrar em outros países. Já foi adotada como ferramenta terapêutica pela SENAD – Secretaria Nacional Anti-Drogas do Ministério da Justiça e também  pelo Ministério da Saúde que já capacitou várias equipes do PSF – Programa de Saúde da Família de todo o Brasil.
Para organizar o movimento da Terapia Comunitária no Brasil foi criada a ABRATECOM (Associação Brasileira de Terapia Comunitária) que legitima o funcionamento dos Pólos Formadores, responsáveis pela formação de novos terapeutas comunitários e também pelo estímulo à criação de redes sociais solidárias em todo o país. Atualmente existem Pólos espalhados por todo o Brasil, que já capacitaram  cerca de 14.500 Terapeutas Comunitários. Na Europa a Terapia Comunitária já está implantada, tendo inclusive uma Associação Europeia. A Terapia Comunitária já chegou também na America do Sul e no Continente Africano.
O pólo de formação em Terapia Comunitária – MISC-RIO PRETO foi criado em Rio Preto com a sua primeira turma de formação em 2008. A partir daí foram formadas 4 turmas, inclusive uma turma com convênio com o Ministério da Saúde em 2008.
Estamos organizando a formação da 5ª. Turma de formação a partir de setembro. Atualmente existem vários núcleos de Terapia Comunitária espalhados na cidade de Rio Preto e região. Já participaram dos cursos de formação do MISC profissionais oriundos das mais diversas instituições públicas, privadas e do 3º Setor, tais como: FAMERP de Rio Preto, UNESP de Botucatu, Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo, Secretarias da saúde e da assistência social de diversos municípios, SESI, profissionais liberais entre outras.

TERAPEUTA COMUNITÁRIO: ATRIBUIÇÕES E REQUISITOS

Conduzir rodas de Terapia Comunitária;
Promover a construção de redes solidárias para auxiliar a inserção social de indivíduos, famílias e comunidades que vivam em situação de exclusão, crise e sofrimento psíquico;
Lidar com as crises familiares, prevenir a violência doméstica, o abandono social, a depressão coletiva e o sofrimento emocional;
Atuar nas comunidades e instituições, a partir do resgate da unidade do Ser;
Valorizar o autoconhecimento como recurso de transformação pessoal e social;
Atuar como agente multiplicador nas suas instituições de origem, de programas de prevenção na área de saúde da família e da comunidade.

REQUISITOS PARA SER UM TERAPEUTA COMUNITÁRIO:
Sendo um instrumento a serviço do crescimento humano, comunitário e social, o terapeuta comunitário, entre outras coisas, precisa:
Ter disponibilidade interna para participar de vivências de autoconhecimento com o intuito de promover o crescimento humano;
Ter suas situações-problema em processo de trabalho e/ou estar disponível para reconhecê-las;
Aceitar trabalhar em equipe numa perspectiva transcultural;
Ser legitimado pela comunidade e sentir-se coresponsável pela construção de uma cultura solidária;
Conhecer as diversas atividades do município no campo social, para que a Terapia Comunitária se integre em rede com os demais núcleos de ajuda comunitária, fortalecendo e ampliando as redes de apoio social;
Ter a sensibilidade aguçada para aceitar a legitimidade do sofrimento humano, aprendendo e reaprendendo sempre a trabalhar com o sofrimento das pessoas, estimulando o diálogo interpessoal e a partilha coletiva;
Saber que o terapeuta comunitário não é um especialista, pois atua no nível da atenção básica à Saúde.

CERTIFICAÇÃO, NÚMERO DE VAGAS, LOCAL DO CURSO, EQUIPE E INVESTIMENTO

 

CERTIFICADO:
O participante, desde que cumpridas todas as exigências, receberá o certificado do pólo formador MISC-RIO PRETO e ABRATECOM– Associação Brasileira de Terapia Comunitária.

NÚMERO DE VAGAS: 40
LOCAL DO CURSO: CASA DO CLERO – Rua João Goulart, s/n – Conjunto de Chácaras no Bairro Morada Campestre – São José do Rio Preto/SP.

EQUIPE:  A equipe é composta por experientes profissionais na formação e na facilitação em Terapia Comunitária Integrativa do pólo Misc-Rio Preto e convidados de outros pólos formadores.

Douglas Metran
Graduado em psicologia, filosofia e teologia, Terapeuta Comunitário e Terapeuta do Resgate da Auto-estima, professor do MISC-Rio Preto, pólo formador de TC.

Luciane de Freitas Fonseca
Psicóloga, pós graduada em Psicopedagogia, Terapeuta Sistêmica de família e de casal, Terapeuta Comunitária e Terapeuta Integrativa do Renascimento, professora do MISC-Rio Preto, pólo formador de TC.

Lucimar Ianelo
Assistente Social, pós graduada em Ciências Sociais, Especialista em violência doméstica, Terapeuta Comunitária, de família e de casal,  Terapeuta Integrativa do Renascimento e Terapeuta do resgate da auto-estima, coordenadora, professora e intervisora do MISC-Rio Preto - polo formador de TC.
Cursando MBA em Gestão de Pessoas.

Maria Aparecida Trazzi Vernucci da Silva
Assistente Social, Especialista em violência doméstica e em Política Social, Terapeuta Familiar e Comunitária e do resgate da Auto-estima.

Washington Bezerra (Pólo formador - AQUARIUS-PE)
Psicólogo, Terapeuta Comunitário, de Família, Casal e de Grupo, Formador e Facilitador em Terapia Comunitária. Coordenador, professor e intervisor do curso de formação do Aquarius- pólo formador de TC.

Liliana B. Marchetti (Pólo formador - TCENDO-SP)
Psicóloga Clinica e Hospitalar, Psicoterapeuta individual, casal família e comunitária, Psicóloga colaboradora no PROJEPSI-IPq - Projeto de neuropsiquiatria da epilepsia no IPq HCFMUSP, Coordenadora, professora e intervisora do TCendo.sp - polo formador de TC.

Doralice Otaviano (Pólo formador - AFINANDO A VIDA-MG)
Psicóloga, Especialista em musicoterapia, Terapeuta Comunitária, Coordenadora, professora e intervisora do Afinando a vida - polo formador de TC.
Obs.: Contaremos também com profissionais de biodança.

INVESTIMENTO:
Inclui no valor do curso, estadia na casa do clero com café da manhã e 02 coffees breack, 01 livro terapia comunitária passo a passo, pasta com caneta, rascunho e venda para as vivências, material de apoio para todos os módulos. (a hospedagem é opcional e não inclui almoço e jantar)
Valor do investimento: inscrição de 200,00 mais 08 parcelas de 250,00
A vista 10% de desconto

O MISC se reserva ao direito de prorrogar as inscrições caso não atinja o número necessário de inscrições.



[ Voltar ] [ Página Inicial ] [ Contato ]